antf.org.br

Você está aqui: Home Associadas FTC Histórico

Histórico

Histórico
Sob administração privada desde 1º de fevereiro de 1997, a Ferrovia Tereza
Cristina posiciona-se como um importante fator de desenvolvimento econômico e
social da região. Passando por 12 municípios sul catarinenses, interliga o pólo
carbonífero, o Complexo Termelétrico Jorge Lacerda e o Porto de Imbituba.
Nessa região rica também em produção cerâmica, agroindustrial, têxtil,
madeireira, plástica e metal-mecânica, a Ferrovia Tereza Cristina atua como
importante elo da cadeia logística do estado, podendo contribuir para o
escoamento de sua produção industrial, promovendo redução de custos, agilidade
e cadência na operação das empresas da região, tornando-as mais competitivas
no mercado nacional e internacional.
Desde que iniciou suas atividades, a FTC vem investindo na recuperação e
manutenção de vagões, locomotivas e via permanente, novas tecnologias,
programas de qualidade e segurança, capacitação de seu quadro de
colaboradores e em programas de Responsabilidade Social, voltados para o bemestar
e qualidade de vida das comunidades por onde passa a linha férrea.
Investimentos que se traduzem em resultados através da qualidade e segurança
dos serviços prestados pela FTC. Anualmente passam cerca de 2,5 milhões de
toneladas de cargas pelos trilhos da Tereza Cristina. Apesar da grande
movimentação, a empresa reduziu em 95% o indicador de acidentes envolvendo
trens e a comunidade.
Buscando novas alternativas de crescimento, a FTC vem investindo também na
obtenção de outras opções de cargas. Com uma malha isolada do sistema
nacional, seu principal produto transportado atualmente é o carvão mineral com
destino a Tractebel Energia, comercializado através de cotas periódicas préestabelecidas
por contrato e definidas com a participação das empresas
mineradoras de Santa Catarina e dos órgãos ligados ao Ministério das Minas e
Energia.
Em 2004, a ferrovia iniciou um processo de diversificação da carga transportada.
Pela primeira vez na sua história, passou a fazer, de forma bem-sucedida, o
transporte piloto de produtos cerâmicos com destino à exportação através do
Porto de Imbituba. Em 2006, iniciou também o transporte de contêineres.
SEGURANÇA - Com o objetivo de prevenir acidentes envolvendo veículos
rodoviários e trens, a FTC investe desde o início de sua administração na área de
segurança operacional e segurança do tráfego. Com o Programa Paz na Linha,
visa conscientizar as comunidades localizadas ao longo da linha férrea sobre os
cuidados necessários para evitar acidentes envolvendo veículos, pedestres e
trens. Somente em 2005, o programa teve uma abrangência de cerca de 10 mil
alunos e 20 mil motoristas.
Tecnologias - Por meio do Sistema de Gerenciamento Ferroviário (Sigefer), todo
o trajeto dos trens da Ferrovia Tereza Cristina é acompanhado desde o
carregamento, deslocamento até a descarga, garantindo a segurança das cargas
e permitindo aos clientes a consulta de informações via web.
Para complementar o bom desempenho do Sigefer, a FTC também possui um
moderno sistema de rastreamento via GPS (Global Positioning System) para
monitoramento dos trens, cujos dados são transmitidos, em tempo real, para o
Centro de Controle Operacional (CCO).
Operando em conjunto, entre outras opções, os sistemas permitem:
- acompanhar a velocidade dos trens e sua localização exata;
- estabelecer contato direto do controlador de tráfego com a cabine da locomotiva,
por meio de alarme sonoro;
- o desligamento da bomba de combustível, a aplicação dos freios e o corte da
tração da locomotiva.
Tudo pode ser feito diretamente do Centro de Controle Operacional (CCO), sem o
contato do maquinista, em situações de emergência, garantindo a segurança do
transporte ferroviário.
FUTURO - Entre as prioridades da FTC para o futuro, está o transporte de novas
cargas, o que poderá ser viabilizado com sua integração à malha ferroviária
nacional. Desenvolvido em parceria com o Ministério dos Transportes e a
Secretaria de Infra-Estrutura do Estado de Santa Catarina, o projeto, denominado
de Ferrovia Litorânea, é viável e prevê o prolongamento da linha férrea de
Imbituba a São Francisco do Sul, interligando os quatro portos catarinenses,
proporcionando novos corredores de transporte e a logística adequada para o
escoamento da produção industrial do Estado.
Com a implementação desse novo trecho ferroviário, a Ferrovia poderia alcançar
até 2020, uma participação de 34% na matriz do transporte de cargas da Santa
Catarina, sem prejuízo ao modal rodoviário existente.

LINHA DO TEMPO:
- 1997:
- início da concessão para o transporte ferroviário de carga na malha Tereza
Cristina,
- investimentos em capacitação, sistemas de comunicação, melhoria dos espaços
físicos, treinamento e desenvolvimento, investimentos em recuperação e
manutenção de locomotivas, vagões e via permanente,
- 1998:
- conquista do Prêmio Destaque Setorial – Melhor Operadora Ferroviária (1998) -
Oferecido pela Revista Ferroviária
- criação do Programa Paz na Linha, de prevenção de acidentes e de
conscientização das comunidades que vivem próximas à linha férrea,
- implantação do Programa 5S, com vistas à preservação do patrimônio e melhoria
nas condições e ambientes de trabalho.
- 1999:
- participação nos estudos preliminares para a Ampliação da Malha Ferroviária no
Estado de Santa Catarina,
- criação da Transferro Operadora Multimodal S.A. – empresa responsável pela
descarga do carvão mineral energético CE - 4.500 transportado pela FTC, sua
movimentação e abastecimento dos silos das usinas no CTJL - Complexo
Termelétrico Jorge Lacerda pertencente a Tractebel Energia S.A., situado no
município de Capivari de Baixo/SC.
- Implantação do Programa de Incentivo ao Estudo - Pró Ensino, voltado para os
colaboradores que desejam dar continuidade aos estudos.
- 2000:
- recorde no transporte de carvão mineral em decorrência da crise energética
vivida no Brasil, o crescimento do PIB no mesmo período, necessidade de
geração de energia elétrica pelo CTJL e recomposição do estoque de carvão.
Houve um crescimento no transporte de 66% comparado ao ano de 1999 e 181%
comparado ao último ano de operação pela RFFSA, em 1996. O volume de
transporte alcançado foi de 3.649.605,61 toneladas úteis.
- 2001:
- criação do projeto social de "Ressocialização de Detentos".
- Início do Convênio de bolsas de estudo para filhos de ferroviário e alunos
carentes que estudam na SATC - Sociedade de Assistência aos Trabalhadores do
Carvão, no município de Criciúma/SC.
- Arrecadação de 20 toneladas de alimentos durante a SIPAT (Semana Interna de
Prevenção de Acidentes do Trabalho).
- 2002:
- desenvolvimento e implantação do Sistema de Gerenciamento Ferroviário –
SIGEFER.
- implantação do sistema de monitoramento das composições ferroviárias e cargas
via satélite.
- modernização de todo o sistema de controle operacional de movimentação de
trens.
- conquista do Prêmio CNI Regional - com o projeto de adaptação de um trator
agrícola para a manobra de vagões vazios no pátio, através da fixação do sistema
de engate no trator, capaz de puxar mais de 30 vagões com maior agilidade.
- 2003:
- conclusão do primeiro estudo sobre a malha ferroviária catarinense realizado
através do convênio entre o Ministério dos Transportes e o Governo do Estado de
Santa Catarina.
- conquista do prêmio Melhor do Transporte Ferroviário de Cargas (2003) -
Oferecido pela Confederação Nacional do Transporte, Revista Transporte
Moderno e Technibus
- 2004:
- diversificação da carga transportada, com o início do transporte de produtos
cerâmicos.
- contribuição para a preservação da memória ferroviária com a realização de
diversas atividades que marcaram as comemorações dos "120 anos de ferrovia
em Santa Catarina": lançamento de livro histórico; construção de passarela de
pedestres em Laguna; revitalização da Praça Tereza Cristina, em Tubarão;
realização de corrida rústica; doação de vitral para a Igreja de São José Operário,
de Tubarão; homenagem aos ferroviários aposentados; campeonato interno de
futebol suíço; recuperação de duas locomotivas históricas para o Museu
Ferroviário de Tubarão: as locomotivas Jung e GM B-12.
- conquista do prêmio Top Premium de Qualidade (2004) - Oferecido pelo Instituto
Brasileiro de Apoio ao Desenvolvimento Industrial, Comercial e Cultural (Inbradic)
- 2005:
- conquista do Prêmio Multilogística 2005, na categoria Transporte Ferroviário.
- recorde de arrecadação de brinquedos para o projeto social "Trem de Natal",
com a distribuição de 25 mil brinquedos, em nove cidades localizadas ao longo da
linha férrea, entre os municípios de Siderópolis e Imbituba.
- Início da modernização da frota de locomotivas e início dos testes de operação
com vagão produzido a partir de plástico reciclável, que substitui os painéis de
madeira utilizados em outros modelos.
- 2006:
- investimentos na adequação de plataformas ferroviárias e início do transporte de
contêineres.
- finalização do processo rumo à certificação na ISO 9001:2000.
- Pela lei n. 11.297 de 09/05/06, o trecho ferroviário EF – 140, ARAQUARI –
IMBITUBA / SC, é incluído no PNV – Plano Nacional de Viação.

 
confederacao
first
  
last
 
 
start
stop

facebooktwitteryoutube