antf.org.br

Você está aqui: Home Notícias Flagrantes mostram acidentes em linhas de trem no Rio de Janeiro e Minas Gerais

Flagrantes mostram acidentes em linhas de trem no Rio de Janeiro e Minas Gerais

Em 2014 foram registrados mais de 800 acidentes com trens no Brasil.
Mais de 60% deles aconteceram em passagens de nível.

O Brasil registra quase mil acidentes nas linhas de trem por ano. Em boa parte deles, a imprudência de motoristas e pedestres tem papel decisivo. O Bom Dia Brasil mostrou flagrantes arrepiantes de batidas e atropelamentos ou quase atropelamentos registrados pelas câmeras de trens em Minas Gerais e no Rio.

Em muitos lugares do país, o aviso não é respeitado. Em Minas Gerais, um homem percebe a aproximação do trem, acelera o passo e é atingido, mas sobrevive.

Em outra imagem, o pedestre só começa a correr quando o trem já está perto. Por pouco, não se machuca. Um carroceiro atravessa bem na frente do trem e precisa desviar a carroça. A mulher tenta atravessar puxando uma mala. Ela para bem em cima da linha e resolve voltar. O maquinista teve que acionar o freio de emergência.

Todos os flagrantes foram feitos em Juiz de Fora, na Zona da Mata mineira, uma das cidades onde mais acontecem acidentes com trens no país. Foram 11 apenas este ano.

O repórter Augusto Medeiros estava lá quando aconteceu o último. Foi em uma passagem de pedestres que fica dentro de um bairro. Ela estava isolada porque uma pessoa tinha acabado de ser atingida. O maquinista levou mais de 100 metros para conseguir parar. O homem tinha 42 anos. Testemunhas contaram que ele sempre passava pela linha do trem.

Em outro ponto a passagem é sinalizada, mas muitos pedestres atravessam distraídos, falando ao celular, digitando.

Bom Dia Brasil: Você não acha perigoso atravessar olhando o celular?
Homem: Sim, demais, acabei de fazer isso agora.

"Nós já tivemos acidentes onde de fato as pessoas já estavam realmente ou testando ou realmente estavam escrevendo uma mensagem no telefone, ou estavam com seu fone de ouvido", diz a gerente de segurança da MRS, Ane Menezes.

Algumas vezes, nem o sinal vermelho e o aviso sonoro são respeitados. Outro flagrante, as imagens são fortes: o trem atinge o carro que cruza a linha férrea, em Itaúna, no interior de Minas. O motorista do carro escapou só com ferimentos leves.

Em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, um caminhão com botijões de gás ignora a sinalização e avança na ferrovia. O trem bate e por sorte, ninguém se feriu.

Apenas no ano passado foram registrados mais de 800 acidentes envolvendo trens em todo o Brasil. Mais de 60% dos acidentes aconteceram em passagens de nível, como uma em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Lá ainda há sinalização, segurança, o que reduz a chance de acontecer algum problema. Mas a concessionária que opera os trens urbanos no Rio de Janeiro estima que existam 180 passagens de nível clandestinas, onde o risco de acidentes é alto.

Um homem caminha pelos trilhos em Del Castilho, na Zona Norte do Rio. O local é cercado por barracos, que foram construídos bem ao lado da ferrovia. Em Deodoro, na Zona Oeste, três homens atravessam correndo. E mesmo onde há controle da travessia, a imprudência aumenta o perigo.

Em São João de Meriti, guardas municipais orientavam o trânsito, mas moradores dizem que acidentes são frequentes. "A cunhada da minha madrinha morreu aqui, com 22 anos, professora. Eu atravesso aqui com medo quando eu venho de lá", diz uma mulher.

"Mais segurança aqui, gente para olhar, uma passarela legal aqui, faz falta", afirma outra.

A Secretaria Estadual de Transportes do Rio disse que espera receber este ano R$ 100 milhões do Governo Federal para investir em segurança e construir passarelas, só que o dinheiro não foi repassado.

Clique aqui para ver o vídeo

 

 
confederacao
first
  
last
 
 
start
stop

facebooktwitteryoutube