antf.org.br

Você está aqui: Home Notícias Vale leva o universo ferroviário para o mundo virtual de forma lúdica e educativa

Vale leva o universo ferroviário para o mundo virtual de forma lúdica e educativa

Os fãs de ferrovia e adeptos dos jogos eletrônicos podem, a partir de agora, unir as duas paixões em uma única brincadeira. Isso porque a Vale leva para o mundo virtual uma das suas iniciativas voltadas a reforçar, nas comunidades vizinhas à Estrada de Ferro Vitória a Minas (EFVM) e à Estrada de Ferro Carajás (EFC), a importância do comportamento seguro próximo às ferrovias.

O Jogo da Ferrovia simula o trajeto que os trens reais da Vale percorrem diariamente e segue a linha das brincadeiras de tabuleiro, onde a cada resposta correta, o jogador, que assume o papel de maquinista, avança uma etapa na brincadeira. O objetivo é repassar, de forma lúdica e educativa, conceitos importantes sobre segurança ferroviária e sobre a responsabilidade de cada um, comunidades e empresa, no que diz respeito à redução das ocorrências envolvendo terceiros nas ferrovias.

A ideia inicial foi modernizar um jogo de tabuleiro físico, que já era utilizado pela Vale em ações educativas com as comunidades. Agora, na versão eletrônica, o jogo ganhou animações em 3D, sons, novas perguntas e dois percursos: um para o trem de carga (modo rápido/roleta), e outro para o trem de passageiros (modo completo). Esta última conta com 16 pontos de interação com perguntas e respostas que possibilitam uma interação maior do usuário com o universo ferroviário.

jogo-da-ferrovia

Jogo da Ferrovia simula situações reais vivenciadas no dia a dia das linhas férreas

 

Assim como ocorre na vida real, à medida que se depara com situações observadas no cotidiano da ferrovia, o "maquinista" deve escolher a maneira correta de agir em cada um dos cenários expostos pelo jogo. A cada pergunta respondida, o jogador recebe informações gerais sobre o mundo das ferrovias, como os principais benefícios, riscos e situações que têm potencial para impactar a circulação de trens de cargas e passageiros que circulam pelas linhas férreas da Vale. Entre as diversas situações retratadas pelo game destacam-se a presença de animais e de crianças brincando nas proximidades da linha, ações de vandalismo e furtos, incêndio nas proximidades da ferrovia e até a existência de construções próximas à linha férrea.

É possível jogar sozinho, em dupla ou até com quatro jogadores. O público-alvo são as comunidades e passageiros do trem da Vale, com destaque para as crianças e jovens. Por meio de perguntas, a iniciativa testa o conhecimento dos jogadores e também conscientiza sobre os principais riscos de segurança que podem ser encontrados próximo às ferrovias. Além disso, o jogo destaca a importância do Alô Ferrovias (0800 285 7000), canal de atendimento gratuito para realizar reclamações, denúncias, elogios e sugestões sobre a EFVM e a EFC.

jogo-da-ferrovia-2

Jogo da Ferrovia simula situações reais vivenciadas no dia a dia das linhas férreas

 

Para acessar o Jogo da Ferrovia, os adeptos dos jogos virtuais podem acessar www.vale.com/jogodaferrovia e seguir as instruções técnicas. Para jogar diretamente no site da Vale, é preciso estar conectado à internet, usar o navegador Internet Explorer 8 e instalar um plugin específico, ação que se fará necessária somente na primeira vez em que o usuário acessar o jogo. Há, também, a opção de jogo off-line, que pode ser baixado para tablets nas principais lojas virtuais de comercialização de aplicativos.

 

Sobre a Estrada de Ferro Vitória a Minas

Considerada a ferrovia mais produtiva do Brasil e uma das mais modernas do mundo graças aos investimentos em tecnologia e recursos humanos, a Estrada de Ferro Vitória a Minas (EFVM) tem 905 quilômetros de extensão e transporta cerca de 40% de toda carga ferroviária do país. Por ela circulam pelo menos 60 tipos de produtos, como minério de ferro, aço, soja, carvão, calcário, entre outros.

Além de operar no transporte de cargas, pela EFVM passa o único trem de passageiros do Brasil que percorre longas distâncias diariamente. Durante o percurso, o passageiro tem à disposição belas paisagens, história, comodidade e segurança.

Com o passar dos anos, as operações da EFVM foram modernizadas para aumentar a eficiência, a capacidade, a produtividade e a segurança, essa última trabalhada pela Vale por meio de ações de conscientização realizadas junto às comunidades situadas ao longo da ferrovia durante todo o ano.

Blitzen educativas em passagens em nível (locais onde há cruzamento entre a ferrovia e as estradas), divulgação de dicas de segurança em rádios e jornais, visitas de autoescolas às áreas da Vale e jogos educativos nas comunidades fazem parte das atividades. Além disso, empregados da mineradora que atuam na operação ferroviária realizam palestras mensais em escolas de ensino fundamental e médio situadas ao longo do trecho com o objetivo de conscientizar crianças, adolescentes e adultos sobre a importância da convivência segura e harmônica com a ferrovia.

 

Sobre a Estrada de Ferro Carajás

Responsável pelo transporte de minério de ferro da mina de Carajás (PA) até o porto de Ponta da Madeira, a Estrada de Ferro Carajás (EFC) completa 30 anos de operação em 2015. Por ela, circula o maior trem em operação regular no país, com 330 vagões e 3,3 km de extensão. O sistema, chamado Locotrol, permite o transporte de mais vagões em um mesmo trem, controla a tração (força) e a frenagem de trens de forma sincronizada e independente. Até cinco locomotivas podem ser distribuídas ao longo de uma mesma composição. As principais vantagens do Locotrol são a economia de combustível e a diminuição da distância de frenagem.

Além do minério de ferro, a EFC transporta outras cargas como cobre, níquel, grãos (soja, farelo e milho), combustível e celulose. O transporte de passageiros também é realizado pela ferrovia, que liga os estados do Maranhão e Pará. Por ano, viajam em média 350 mil passageiros. Dos 892 Km de extensão da ferrovia Carajás, 73% é de linha reta e 27% de curvas - são 347 ao todo. Diariamente, cerca de 10 trens de minério partem de Carajás e também de São Luís. A velocidade média das composições é de 40 Km/h. Cada trem com 330 vagões retira das rodovias um volume aproximado de 1.155 carretas - padrão brasileiro - de 30 toneladas.

 

Fonte: Assessoria de Imprensa Vale – Marta Moreira

 

 

 
confederacao
first
  
last
 
 
start
stop

facebooktwitteryoutube